IRA

A ira do homem pode ser justa e sã (2Sm 12,5; Ex 16,20; 32,19-22; Nm 31,14; Lv 10,16; Mc 3,5; At 17,16). Normalmente é má (Pr 14,17; 29,22; 15,18; Jó 18,4; Mt 5,22; Cl 3,8; Ef 4,31; Rm 12,19; Ap 11,18).

A ira de Deus é descrita no AT como ardor, fogo, tempestade (Sl 2,12; 83,16; Is 13,13; 30,27s; Jr 15,14; 30,23). Fala-se do cálice da ira divina (Is 51,17; Ap 14,10), que Cristo teve de beber.

O dia do Senhor, anunciado para os tempos messiânicos, será um dia de ira (Am 5,18-20; Sf 1,14-18; Ml 3,2s; Rm 2,5).

Paulo vê a imoralidade dos pagãos como um efeito da ira de Deus (Rm 1,24-28); esta desencadeia-se também sobre Israel (Rm 11,25-32); “todos são por natureza filhos da ira” (Ef 2,3; Rm 3,25s).

Livros recomendados

Visite a livraria

image

Meias Verdades, Velhas Mentiras. – Estratégia comunista de embuste e desinformação

image

1964 — O ELO PERDIDO – O Brasil nos arquivos do serviço secreto comunista

image

Suma Contra os Gentios

image

A verdadeira história da Inquisição