TENTAÇÃO

A tentação bíblica não se situa propriamente no quadro da luta pessoal por adquirir a perfeição, mas na realização do plano de Deus. A tentação, portanto, é a fuga do homem ao plano de Deus: tentação de Abraão (Gn 22,1-18; Eclo 44,20; 1Mc 2,52): tentação do Povo no deserto (Dt 8,2-5; Ex 16,4; Sl 77,17-56; 94,6-11); tentação de Cristo por um falso messianismo (Mt 4,1-11; 16,21-23; 26,36-46; Hb 2,14-18; 4,15).

A tentação tem uma origem (Gn 3,1s; Jo 13,2; At 5,3; Rm 7,22s; 1Pd 5,8s). Todos nós somos tentados (1Cor 7,5; 1Ts 3,5). Deus a permite porque nos chama para a vida do Homem-Novo (Tg 1,13-15; 1Cor 10-13). Liberta da tentação aos que lhe pedem (Eclo 33,1; Mt 6,13). A tentação deve ser combatida (Mt 18,7s; 26,41; Ef 6,11-16; 1Pd 5,9), e pode ser vencida (Lc 22,31s; 1Cor 10,13; 2Cor 3,5; Fl 4,13; Tg 1,12; 2Pd 2,9; Ap 2,10).

Livros recomendados

Visite a livraria

image

A verdadeira história da Inquisição

image

O Diabo na História

image

Manual politicamente incorreto do comunismo

image

A Inquisição – Um Tribunal de Misericórdia